Sexologia com Amor

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Saiu na Mídia Entrevista para o site "O Linguarudo" da Faculdade Maurício de Nassau, Recife.

Entrevista para o site "O Linguarudo" da Faculdade Maurício de Nassau, Recife.

E-mail Print PDF

"Acessórios sexuais apimentam fetiches"
(Por Élida Maria)

A sexualidade é um tema que não é mais visto de forma tão reservada como no século anterior. Com o passar dos anos ela vem tomando espaço assim como os fetiches sexuais. Eles são como um desejo realizado no sentido de objeto sexual e trazem sensação de prazer. Alguns são idealizados com posições do próprio corpo. Outros são realizados com alguns temperos como: peças íntimas, cremes, óleos anestésicos, lubrificantes, bonecas infláveis e até bombas, acreditam?

O segmento comercial que lida com esse produto é chamado de sex shop. As lojas que vendem os acessórios sexuais são recuadas e discretas, mas escondem artifícios dos mais variados possíveis para quebrar a rotina de qualquer casal. De acordo com o dono de uma loja de sex shop do Recife, Daniel Tombesi, 42 anos, o público na maioria são mulheres, cerca de 80%, enquanto os homens que geralmente vão ao local acompanhar suas parceiras atingem apenas 20% da clientela.

Um dos produtos muito procurados entre os visitantes da loja são as bombas penianas. A bomba estimula o crescimento do pênis entre três a cinco centímetros. Já as mulheres além de lingerie e das fantasias, usam desde algemas a calcinhas comestíveis. De acordo com a técnica em radiologia, Marileuda Costa, 37, o uso de artigos sexuais aguça seus fetiches. “Utilizo os acessórios porque permitem que meu casamento não fique na rotina, além disso, a relação pega fogo com alguns incrementos sexuais”, diz a técnica. Outros objetos usados por ela são chicotes, máscaras e até algemas.

CUIDADOS

Apesar de todo esse leque de produtos é necessário alguns cuidados no manuseio e principalmente limpeza, é o que explica o sexólogo Carlos Magno. “Os chamados toys ou brinquedos sexuais como o vibrador ou vagina artificial, entre outros, são usados como fetiches propriamente ditos. Eles servem para melhorar ou substituir as sensações sexuais, porém não se pode esquecer da higiene. O ideal é sempre lavá-los com sabão neutro antes de usá-los”, diz o médico. Com esses cuidados e precauções pode-se “usar” e “abusar” de seus fetiches e fugir do tradicional “feijão com arroz”.

- O Dr. Carlos Magno é autor dos livros: "O Outro Sexo" e "Brasil e Estados Unidos
"